sábado, 17 de fevereiro de 2007

Sabor Musical


Tua voz...
Um sussurro, uma brisa vibrante a eletrizar meus sentidos...
Adormecidos!
O som dos teus lábios a amaciar as palavras aos meus ouvidos...
Antes ensurdecidos...

Tua respiração melódica, descompassada,
Rege em mim... Sinfonia de prazer.
A voz que acaricia, agredindo o meu pudor...
Agora a fenecer.

Um convite ensurdecedor que me faz delirar...
Em cada palavra expressa mais um grau...
De intenso calor.
Busco memórias de algum autocontrole,
Barreiras, inutilmente, eu tento levantar.
Tua presença atrevida ressoa com malícia...
Um perfumado e envolvente sabor.

Impõe-te como a brisa, como a chuva de verão...
Revigora-me esta liquidez de teu sopro.
Tão fresco e livre... Irresistível!... Como a paixão.
Tão quente e úmido, quanto o calor do teu corpo...
Que me desprende vapores... Ebulição!
E a fervura célere de minha contradição...

Com a deliciosa música sensual de tua voz,
Caço em mim resistências, e sou atroz...
Vou percorrendo meu intimo...
Agora buscando lembranças de propriedades iguais,

Mas nada existe antes e talvez, assim, não exista jamais!

Teu encanto faz dançar a serpente dos meus desejos...
Tua serpente envenena os meus, mais ardilosos, medos.
As sensações que me tomam fecundam meus devaneios...

Vou compondo o teu corpo, junto a mim entrelaçado,
Com notas destes teus sons que vão a me descompor...
Ora entrega!... Ora oposição!...
A continência lúgubre do passado...
Tomada e devastada por um salteador.

Eis a coragem!... Despeço-me da covardia!
Cativada e vencida. Entregue a cálida harmonia....
Vou me deixando levar pelo som e pelo sabor.

Aconchegada em teu peito como semente a germinar,
Em teu abraço envolvida como à água a me acariciar.
Transmutas o meu passado, guia-me ao meu próprio ser...
Me destruo! Me recrio! Mais completa a renascer.

Dentro de tua boca a banhar-me de prazer,
Deitada sobre tua língua a admirar o teu céu,
Contando estrelas sem mais me conter
Espalhando sementes de frutos doces e sonoros ao léu,

Ávida por tuas palavras que aguçam a fome de um corpo inteiro.
Marcada por lasciva música, sem mais haver dissonância...
Um momento, uma lembrança...

Talvez apenas... Um devaneio...

Isabel Batista

Um comentário:

Lu disse...

Belzita!
Bravo! "Sabor Musical" é lindo! Espetacular! Perfeito!
Sua obra prima!
Parabéns!
Espero que me dê a honra de tê-lo no Lupoesia.
Abreijo
Lu