terça-feira, 24 de janeiro de 2006

Auto Gestação


Não sei agora o que sentir, o que pensar

Sinto em mim um latejar

Mas lânguida e esquálida ainda estou

Todos os sentimentos, todas vontades que de mim ou de fora surgir

Digo Não!

Nada pode me parar, me atrasar de me cumprir

Quero viver o momento de sublimar

Sentir a metamorfose, o desabrochar

Esquecer todo o tormento de ter que transmutar

E em fim apenas me recriar

Me sinto semente em germinação

Na paz que me sinto e crescer

A tempestade passou , mas ainda ouço o ressoar do trovão

A umidade fértil me faz refrescar

O intimo árido do meu próprio ser

Nada agora a oferecer,

Nenhum espaço a conceder

A não ser ao que lá em meu coração já está

Quero agora mais me conhecer

Quero me amar

Organizar minha mente o lixo expulsar

Sentir a alegria da liberdade

Com sua brisa colorida e perfumada

Um sabor de mim, agora quero ter

Quero renascer


Isabel Batista

2 comentários:

Paula disse...

Nossa !!! adorei a forma como escreve...forte, mas sensível...lindo..

André disse...

OI isa......caramba....vc viro poeta ein^^seu site está di++++suas poesias estão lindas...e bem profundas....bom ti desejo tudo doque esse mundo tem di melhor ....um beijão..=)